Permissão para gatos e cachorros

Se você pretende residir na Suécia com seu animal de estimação (cachorro ou gato), aqui você encontrará as regras vigentes para a permissão de entrada de na Suécia.

O Brasil é considerado um país de risco da doença popularmente conhecida como “raiva”; portanto, existem regras para que um cachorro ou gato seja levado à Suécia. Cachorros e gatos não necessitam mais ficar em quarentena na Suécia. Esse tempo de espera é realizado em Brasil.

 

Para que um animal entre na Suécia, os preparativos devem começar bem cedo. O animal deve ter um microchip de identidade e depois deve ser vacinado contra raiva. Através de um exame de sangue pode-se controlar se a proteção contra raiva é válida ou não. O sangue será analisado em um laboratório aprovado pela União Européia. O processo todo de vacinação e exame de sangue leva em torno de 4 a 5 meses.

 

Não existe proibição à uma determinada raça de cachorros. Porém, na Suécia é proibido ter um cachorro:

  • que tenha forte característica de combate,
  • que facilmente fica irritado e tende a morder,
  • que seja de difícil controle para parar um ataque e
  • que tenha inclinação de impor seus interesses contra pessoas e outros animais,
  • animais contaminados pela raiva.

 

Preparativos passo a passo

1. Microchip de identidade
O animal deve ter um microchip de identidade - padrão ISO. Entre em contato com seu veterenário. Se o microchip for de outro tipo, o dono deve levar um scanner para que na fronteira a alfândega possa ler.

 

2. Vacina contra raiva
O animal de estimação necessita tomar vacina contra raiva registrada na sua carterinha de vacinação. (Ver a lista de vacinas aprovadas no lado direto da tela).

 

3. Teste de titulação de anticorpos contra a raiva
O exame anti-rabico precisa ser reaplicada pelo menos 30 dias depois da última vacina. Caso o animal necessite de duas doses, será preciso esperar 30 dias depois do último teste de sangue. (Ex. vacina um: 1º de março; vacina dois: 1º de abril; teste: a paritr de 1º de maio)

Laboratórios aprovados no Brasil (22-01-2013):

Laboratório               Endereço                             Tele/Fax/e-mail: Data de aprovação Data de vencimento
Instituto Pasteur Avenida Paulista, 393, Cerqueira César, Sao Paulo

+55 11 3289.7738 / 0831

 pasteur@pasteur.saude.sp.gov.br

31/01/2006 10/10/2011
Laboratório de Zoonoses e Doenças Transmitidas por Vetores Rua Santa Eulalia, 86 Santana, Cerqueira César, Sao Paulo SP

55 11 6224-5546/6251-2249

zoonoses@prefeitura.sp.gov.br

06/08/2008  

 

4. Espera 90 dias dentro do Brasil - a partir da data de coleta do sangue de raiva de um laboratório aprovado.

 

5. Reserve o lugar do animal no vôo – as cias aéreas limitam o número de animais por aeronave (em geral, no máximo 2 ou 3).

 

6. Atestado de veterinário

  • Na semana da viagem e depois de esperar 90 dias do teste de raiva, o veterináro pode emitir o atestado.
  • O atestado tem validade de 10 dias para o controle de entrada na Europa e dentro da Europa pode viajar durante 4 meses.
  • O formulário para atestado de veterinário caso o animal viaje com o dono(a) é  E9.207 (ver link ao lado direto)
  • Fomulário para atestado de veterinário caso o animal viaje sem o dono é E9.209
    (ver link ao lado direito)

 

7. Certificado Zoosanitário Internacional (CZI)

  • Com o atestado do veterinário em mãos, é preciso levá-lo ao departamento do Ministério da Agricultura que cuida do transporte internacional de animais (geralmente localizado nos aeroportos internacionais) para a emissão do CZI, o Certificado Zoosanitário Internacional (ver link ao lado direito). Também é preciso ter em mãos:
  • O animal para a leitura do microchip,
  • O atestado do veterinário emitido no máximo 72 horas antes,
  • O resultado do teste de sorologia emitido pelo laboratório aprovado,
  • A carteira de vacinação do animal, com todas as vacinas de raiva em dia.

 

8. Alfândega na chegada à Suécia

O animal de companhia deve possuir uma pessoa presente fisicamente que possa se responsabilizar pelo animal. Se não houver, será considerado um animal de importação para vendas e deve seguir as regras para animais importados à Suécia para venda. Apenas 5 animais são considerados de companhia; outros de mesmo dono, serão considerados animais importados para venda.

  • Animal que viaja com o dono
    Quando chega ao aeroporto na Suécia, precisa entrar no setor vermelho na alfândega com o animal. Precisa ter em mãos todos os documentos emitidos: Carteira de vacinação antirrábica, o teste de sorologia, atestado do veterinário (formulário E9.207) e o certificado CZI, todos eles carimbados.
  • Animal que viaja sozinho (E9.209)
    Caso o animal viaje sozinho precisa contactar a alfândega sueca (Tullverket) pelo menos um dia antes da chegada (ver link ao lado direito). Terá uma taxa para exame de veterinário no local. Para mais informações sobre esse assunto, acesse o site do Ministério da Agricultura sueco (ver link na direita)
  • Animais nascidos na Suécia
    Animais que retornam de volta para Suécia, devem possuir um passaporte para animais de companhia. Esse passaporte pode ser encontrado em qualquer veterinário na Suécia. Nele, será anotado o número de identidade do animal, as vacinas, o exame de sangue e os tratamentos que o animal já realizou. Todo dono de cachorro deve se registrar na Centrala Hundregistret (Centro de registro canino), exceto, claro, aqueles que estão apenas visitando. O formulário pode ser encontrado em qualquer veterinário ou no Jordbruksverket (Ministério da Agricultura) e tem custo em torno de 150 coroas suecas.

 

9. Recomendações

  • Dar um sedativo leve ao animal, com orientação do veterinário, na hora do embarque.
  • A casinha deve ser rígida e grande o suficiente para que o animal fique em pé e dê uma volta completa.
  • É bom comprar um bebedouro próprio para viagem para fixar na casinha.

 

Você pretende levar seu cachorro ou gato da Suécia para o Brasil? Segue o link para saber mais.

 

Atualizado 27-04-2015

Navigation

Top