Relações comercias entre Suécia e Brasil

Uma das tarefas mais importantes para a Embaixada da Suécia é trabalhar com a promoção de negócios e auxiliar empresas suecas dentro do mercado brasileiro.

Existem hoje em torno de 220 empresas suecas presentes no Brasil e que empregam aproximadamente 60.000 pessoas, além de movimentarem mais de 30 bilhões de coroas suecas (SEK) por ano. Grande parte das empresas suecas estão localizadas na região de São Paulo e a cidade de São Paulo é frequentemente chamada de ‘a segunda maior cidade industrial da Suécia’ (depois de Gotemburgo). 

Dois parceiros importantes no Brasil possuem uma rede de contatos e experiências na indústria e no comércio: a Business Sweden e a Swedcham

Swedcham – Câmara de Comércio Sueco Brasileira, foi fundada em 1953 e representa as indústrias suecas presentes no Brasil; e o Business Sweden, que é o Conselho de Negócios e Investimentos da Suécia no Brasil, fundado em 1977 em parceria com a Swedcham, trabalha em nome da indústria, do comércio e do governo sueco, buscando identificar potenciais de mercados, parceiros e fornecedores no Brasil e promover as exportações suecas. Ambas as representações, tanto da Swedcham como do Business Sweden, estão localizadas em São Paulo-SP.

A Embaixada também possui o Open Trade Gate Sweden criado para apoiar e facilitar comércio de empresas brasileiras, e demais economias emergentes, a realizarem negócios com a Suécia.

As empresas suecas já se fazem presente no Brasil há mais de um século. Um bom exemplo disso foi em 1891, quando a empresa sueca Ericsson instalou o primeiro telefone no Brasil, mais precisamente na casa do Rei Dom Pedro II, no Rio de Janeiro. Outra curiosidade entre o comércio sueco-brasileiro foi o cimento utilizado na construção da estátua do Cristo Redentor, fornecido pela empresa sueca ASEA (atualmente ABB).

Desde então, a relação da Suécia com o Brasil é altamente priorizada pelo governo sueco. Os dois países compartilham valores fundamentais e trabalham juntos, de forma bilateral, principalmente nas áreas de indústria automotiva e aeronáutica, engenharia e serviços. O Brasil é o parceiro latino-americano mais importante para a indústria sueca e, de longe, o nosso maior mercado exportador na região. Após o ano de 2009, as relações comerciais se intensificaram ainda mais com o lançamento da parceria estratégica entre os dois países. Com o contrato assinado em 2014 entre a Força Aérea Brasileira e a empresa sueca Saab, houve uma abrangência maior no desenvolvimento e produção dos caças Gripen NG.

Navigation

Top